Asterios Polyp – David Mazzucchelli

2017 tem sido o ano de ler bons quadrinhos, eu estou amando essa fase, e hoje vou falar do melhor quadrinho que li esse ano.

Asterios Polyp conta a história de um arquiteto, professor universitário, que é reconhecido pelos seus projetos, mas nunca construiu prédio nenhum. Ele não é exatamente uma pessoa muito bacana, uma figura bem caricata da acadêmia. Se você já foi, ou ainda é universitário, pensa naqueles professores bem egocêntricos, que se acham os melhores do mundo. O nosso protagonista é esse tipo de pessoa.

ap

O quadrinho não é linear. Ele alterna entre as lembranças com a ex-esposa, lembranças do trabalho e momentos do presente. Se eu for colocar uma sinopse bem resumida, pra evitar spoilers, vai parecer que o roteiro não é muito original. Cara arrogante, perde tudo logo no começo da história, se vê meio perdido e tem uma chance de recomeçar. Mas apesar de trazer essa base bem manjada, o quadrinho é maravilhoso. Ao longo do quadrinho o Asterios revisita o passado dele pra aprender com o que aconteceu, tentar entender como as coisas chegaram naquele ponto e tentar mudar o presente. Essa brincadeira de presente, passado, de recomeço, me lembrou um pouco o Daytripper.

ap_modern_t.jpg

A primeira coisa que chama atenção em Asterios Polyp é o trabalho gráfico. O quadrinho segue uma paleta de cores que variam entre roxo, amarelo, azul e magenta. Cada cor está associada com um período da vida dele e suas emoções. As cores são uma das melhores partes do quadrinho, elas dão vida, movimento e deixam o quadrinho quase sinestésico. Durante a leitura nos conectamos tanto com o mundo do Asterios que é muito fácil ouvir os sons do ambiente e os cheiros. As cores conseguem transmitir as informações mais importantes e marcantes da história. 

ap

Além disso o traço e o uso do espaço da folha são incríveis. Por exemplo, quando a ex-esposa olha para ele, o Asterios aparece desenhado em formas geométricas, reforçando essa imagem de que ele era um homem metódico, um homem que se definie pelo trabalho. Os balões com as falas das personagens e do narrador são grandes e o tamanho da fonte varia o tempo todo. O David Mazzucchelli usa o espaço do quadrinho de uma maneira que eu nunca tinha visto antes. O modo como ele foca algumas cenas, o número de quadros por página… A gente demora pra conseguir mudar de página por passar tempo demais admirando cada quadro.

asterios_diferencas

Eu acho que nunca tinha lido um quadrinho com tantas informações importantes no meio do traço e das cores. Eu sei que essa é a grande graça dos quadrinhos em geral, mas em Asterios Polyp é diferente. Eu considerei que Asterios atingiu um novo nível em termos de informação visual. O quadrinho é absurdamente bonito.

Eu acho muito difícil ler esse quadrinho e não se emocionar. Da uma vontade enorme dea-estetica-de-asterios-polyp-html largar tudo e correr atrás das pessoas importantes pra você e mostrar o quanto você gosta delas. Asterios Polyp entrou pra caixinha de quadrinhos inigualáveis junto com Maus e Daytripper (que até agora são meus quadrinhos preferidos da vida). Quadrinho mais que recomendado e que com toda certeza vai aparecer na lista de melhores leituras do ano.

Asterios Polyp é publicado pelo selo Quadrinhos da cia e são 344 páginas. A minha é a edição antiga, com capa comum, senti falta de um textinho falando sobre o quanto esse é um quadrinho impressionante e discutindo um pouco sobre a obra. Mas é um quadrinho maravilhoso e vale muito a pena.

assinatura

Anúncios

2 comentários sobre “Asterios Polyp – David Mazzucchelli

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s