O lobo do Mar – Jack London

Não me orgulho disso, mas esse é um dos casos que eu me interessei pelo livro por gostar da capa. Foi por achar a capa bonita que eu fiquei curiosa e pesquisei sobre o que era o livro. Ele ficou muito tempo na minha wishkist, mas finalmente li O lobo do Mar.

Eu nunca tinha lido um romance marítimo, e só por ser uma experiência de leitura bem diferente esse livro já valeu a pena.

O lobo do mar é narrado em primeira pessoa pelo  Humphrey van Weyden, um intelectual que vivia de renda da família, lendo e criticando livros e sempre acompanhado da mãe e as irmãs, e que um belo dia o navio, em que ele viajava tranquilo e feliz, acaba naufragando. Esse começo já não parece muito feliz, mas as coisas sempre podem piorar não é mesmo? Ele acaba sendo resgatado pela escuna de caça Ghost, e essa escuna era liderada pelo temido Wolf Larseno lobo do mar.

Wolf Larsen era um verdadeiro tirado dentro da navio e a tripulação toda sentia uma mistura de ódio, revolta e medo dele. Humphrey é forçado a fazer parte da tripulação e passa a realizar tarefas como qualquer outro dentro do navio.

Eu demorei um tanto para me acostumar com a narrativa do livro. Não que seja uma leitura difícil, mas é realmente bem diferente do que eu estou acostumada. Os termos nauticos e a realidade da vida no mar foram um choque pra mim. Para facilitar esse processo de adaptação, o livro traz um dicionário de termos técnicos que realmente ajuda bastante.

Humphrey acaba passando por um choque de realidade. Ele que nunca tinha feito nenhum trabalho que não fosse intelectual, se viu forçado a trabalhar na cozinha, um ambiente nada agradável e com uma rotina de trabalho bastante pesado. Além disso ele se via cercado por homens agressivos, brutos e que nunca tiveram uma vida muito fácil (principalmente dentro do Ghost). Para a grande surpresa do Humphrey, aos poucos o capitão Larsen se mostra um homem bastante culto. O Wolf Larsen era um autodidata que se interessava muito pelos livros.

A relação entre o Humphrey e Larsen foi o ponto alto do livro na minha opinião. Os dois tinham várias conversas interessantes, mas apesar de existir essa ligação intelectual forte entre eles, existe também muita agressividade. Humphrey sente muita admiração pelo Larsen, mas essa admiração não consegue impedir que ele sinta também muito asco pelas atitudes de violência do capitão.

Depois que eu me acostumei com o estilo da história, foi bem difícil parar de ler o livro. Eu fiquei viciada e precisava muito saber o que ia acontecer com aquela tripulação que vivia brigando. São várias situaçãos bem tensas, com muitas tentativas de assassinatos, de fugas, e alguns castigos que a gente pode chamar de tortura sim. E todas essas cenas de violência são intercaladas por discussões filosóficas entre Larsen e Humphrey.

Eu realmente estava gostando muito da leitura até que no ultimo 1/3 do livro aparecem dois novos náufragos e a história ganha um rumo que não me agradou em nada. A sensação que eu tive foi que o Jack London me deixou extremamente tensa e envolvida com a realidade do navio e de repente ele corta essa tensão toda de uma vez. O livro continua tenso sim, mas aparece uma mulher no navio e com ela chega um novo problema.

Eu já tinha lido/assistido algumas resenhas sobre esse livro e acho que a grande maioria dos leitores não se incomodou com esse final. Pra mim foi um belo balde de água fria, mas mesmo assim não estragou completamente a minha experiência de leitura.

Eu ainda estou digerindo o final e ainda estou me sentindo bastante frustrada e decepcionada, não vou negar, mas mesmo assim considerei esse livro muito bom e se não fosse o finalzinho do livro O lobo do mar estaria entre as minhas melhores leituras desse ano.


loboplay

Todo esse ambiente do navio me lembrou algumas musicas. Na verdade nos últimos tempos eu tô com Gogol Bordello na cabeça e ai essa leitura meio que casou. Eu acho que Gogol Bordello combina bastante com esse cenário de navios e viagens marítimas. Por ficar com essas musicas na cabeça eu criei uma micro playlist no spotify com músicas que eu lembrei durante a leitura. A playlist é colaborativa, então se você pensar em alguma outra música pode adicionar ai também! 

Vocês gostam desse ideia de combinar musica e leitura? Eu já tinha pensado em fazer isso com outros livros, mas só agora bateu a coragem de vez. De todo jeito muito em breve vai ter outro livro aqui no blog que também merece demais uma playlist, então se preparem que logo menos tem mais música por aqui. 


O Lobo do Mar faz parte da coleção maravilhosa de Clássicos da Zahar. A minha edição é a maior, que vem com textos extras e notas de rodapé e uma folha de guarda linda! O livro tem 368 páginas e um final que eu ainda não consegui aceitar muito bem.

assinatura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s