2º Especial Semana do Orgulho Nerd #1 – 3 x Alan Moore

Para comemorar o Dia da Toalha, vai rolar aqui no blog o segundo Especial dia do Orgulho Nerd, com 3 posts com esses temas um pouco mais nerds. Se quiser saber mais sobre o Dia da toalha e como funciona esse especial, clique aqui.


Se você já é fã de quadrinhos eu vou chover no molhado, mas se você ainda não conhece muito desse mundo, você precisa conhecer Alan Moore.

Alan Moore é um escrito britânico de 62 anos. Apesar de ter alguns livros de ficção, as grandes obras do autor foram quadrinhos.

Com toda certeza você já ouviu falar de algum trabalho do Alan Moore, você até ponde não ligar nome a pessoa, mas você conhece alguma coisa dele sim.

Apesar do Alan Moore já ter um espaço nos corações dos fãs de quadrinhos, esse post é para pessoas que ainda não conhecem muito de quadrinhos, ou tem algum bloqueio com heróis ou HQs em geral. As obras do Alan Moore são sempre muito, muito incríveis e merecem muito que você dê uma chance.

Os quadrinhos do Alan Moore são do tipo que te fazem repensar a sociedade, que te incomodam e que te prendem do início ao fim. É bem difícil ler um quadrinho dele e não ter vontade de ler todos os outros. 


VD

Com toda certeza você já ouviu falar sobre V de vingança. Pode até não conhecer o quadrinho, mas é muito provável (pra não dizer que é certeza) que você já viu o filme.

Esse é sem duvida alguma o quadrinho mais subversivo que eu já li. Se você espera que HQs sejam uma leitura leve, divertida e um tanto infantil, acho que você vai se surpreender muito com V de vingança.

V de vingança é uma distopia em que a Inglaterra vive o facismo. Os departamentos do governo lembram um tanto os departamentos de 1984. Nessa história a miséria humana é esfregada na cara do leitor. Os personagens mostram os lados mais sombrios da humanidade/sociedade como a prostituição, a pobreza, a marginalização, o abuso do poder, a violência policial, torturas, experimentos antiéticos e etc.

V de vingança é um quadrinho extremamente inteligente cheio de questionamentos sobre as formas de governo, o que é democracia, jogos de manipulação. É uma obra muito atual e que te deixa pensando por muitos dias.

O V do quadrinho é muito mais intenso e insano que o do filme. Eu já amava o filme, mas o quadrinho é infinitamente melhor. Essa é uma daquelas obras que merecem muitas releituras e que precisam ser discutidas. Tem muita coisa interessante que rende muito assunto nesse quadrinho, assim como qualquer distopia de qualidade. Não tem como ler V de vingança e olhar a sociedade com os mesmos olhos de antes.

Watch

Watchmen é considerada a obra prima do Alan Moore e uma das mais importantes obras britânicas.

Assim como V de vingança é um divisor de águas no sentido de mostrar que quadrinhos podem ser muito mais do que diversão para adolescentes, Watchmen mostra que histórias de heróis podem ser muito mais do que homens bons, fortes e poderosos lutando contra super vilões. 

Os Watchmens são uma segunda geração de heróis formados por homens comuns, sem poder algum, que apenas querem mais justiça. São pessoas fantasiadas que tentam fazer justiça com as próprias mãos e segundo as próprias regras e moral. O único que foge o padrão é o Dr. Manhattan, que após ser vítima de um acidente nuclear, ele perde muito do lado humano e ganha poderes nucleares e uma visão diferente do tempo e espaço.

Eu nem sei como falar desse quadrinho. Cada um dos Watchmen tem um potencial enorme e todos eles são muito bem explorados.

Watchmen

Os Watchmen são personagens com muita bagagem. Muitos deles carregam traumas do passado, grandes mágoas e precisam lidar com uma confusão enorme de sentimentos. As personalidades e visões de mundo desses personagens são muito diferentes entre si. Alguns são mais ambiciosos, outros são mais sonhadores, outros são mais traumatizados, mais agressivos e assim vai.

Nesse quadrinho o mundo está prestes a viver a Terceira Guerra Mundial, a guerra fria está quase explodindo em uma guerra nuclear e o Dr Manhattan pode ser a salvação da humanidade.

Aqui temos uma discussão sobre o poder, sobre o que é a paz, a ambição e muitos outros temas muito fortes.

Não é atoa que muitas pessoas consideram esse o melhor quadrinho de todos os tempos. Na verdade esse é o meu quadrinho preferido da vida e talvez por isso seja tão difícil de falar sobre ele.

Na edição definitiva além de encontrar a história completa, no final de cada capítulo tem um extra com mais informações sobre os personagens e esses extras são maravilhosos.

Em 2009 saiu uma adaptação para o cinema. Apesar de muita gente falar mal desse filme, eu gosto muito também e eu acho que ficou uma adaptação muito boa. Lógico que nem tudo funciona bem no cinema, e existem algumas diferenças entre as mídias, mas eu gostei muito do filme mesmo assim. O começo dele é um pouco confuso se você não conhece os Minutemen, mas mesmo assim é um filme muito bom.

Existe também a série Antes de Watchmen, que são quadrinhos mais curtos sobre a vida dos personagens, tanto de Watchmen quanto dos Minutemen. Eu adoro esses quadrinhos, eu queria muito que a Panini relançasse eles, mas essas histórias não foram escritas pelo Alan Moore. Mesmo assim é sensacional (ok, já deixei muito claro o quanto eu amo Watchmen né?)

PI

A ultima indicação é um arco (que infelizmente) é bem curtinho e conta a origem do Coringa.

Esse Coringa não parece com o aquele que já tão conhecido do cinema. Aqui ele tem uma origem bem diferente, com uma crítica social bem forte e ele é muito mais insano. Os diálogos dele com o Batman são muito fortes e eu não enjoo de reler. O coringa tem frases muito fortes, que dão um belo tapa na cara do Batman e do leitor.

Observem o seu repugnante senso de humanidade, a disforme consciência social e o asqueroso otimismo. O mais repulsivo de tudo são suas frágeis e inúteis noções de ordem e sanidade, se for submetido a muita pressão… Ele quebra

Só é preciso um dia ruim para reduzir o mais são dos homens a um lunático

O traço desse quadrinho é maravilhoso. Essa é uma daquelas HQs que te absorvem completamente desde o momento em que você abre o encadernado. Não tem como largar esse quadrinho sem ter terminado de ler, e no final da uma tristezinha porque ele é muito curtinho e eu queria que ele continuasse.

A piada mortal também vai ganhar uma adaptação, mas vai ser um longa animado e eu sinceramente não imagino como adaptar essa história sem ser em animação. Inclusive já temos uma imagem oficial dessa adaptação.

TW


Esse post acabou ficando bem grandinho, mas é que é muito amor por cada uma das obras do Alan Moore. Além dessas que eu falei existem muitas outras e a grande maioria delas estão na minha lista de desejados, como por exemplo O monstro do pântano, Promethea (que esse ano ganha o segundo volume da edição definitiva) e Do Inferno.

As 3 HQs desse post foram lançadas pela Panini e você pode encontrar em encadernados de capa dura.

Amanhã tem outro post, até lá e sempre lembre onde está sua toalha!

assinatura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s