Para viver um grande amor – Vinicius de Moraes

Vinicius de Moraes é conhecido como “O Poetinha”. Ele escreveu poesias lindas e algumas até viraram um clichê. Quem não conhece o Soneto da Fidelidade? E esse é só um exemplo entre tantas outras poesias que ficaram tão conhecidas, mesmo entre quem nunca leu nada do Vinicius. Mas ele foi muito mais que isso. Vinicius foi compositor, teve grande papel na MPB. Escreveu várias musicas junto com Tom Jobim, fez parcerias com Toquinho, Chico Buarque, Caetano Veloso, João Gilberto e etc. Foi jornalista e diplomata.

Mas o que muita gente ignora, é que dentro da literatura Vinicius não escreveu só poesias. Eu sou apaixonada pelas crônicas do Vinicius. A minha favorita é “Para uma menina com uma flor”. Essa crônica faz parte de um livro, que leva o mesmo nome, e é lindo demais, muito sensível. Os livros de crônicas do Vinicius são uma delicia de ler. Apesar de alguns dos livros terem títulos com temas de amor, as crônicas são bem variadas, bem leves e divertidas .Ele tem uma habilidade de falar sobre qualquer fato cotidiano de um modo único. Tudo o que ele escreve é muito sincero e muito intenso. Vinicius se casou mais de uma vez, mas sempre que ele se apaixonava por alguém, ele mergulhava de cabeça e vivia aquele amor como se fosse o maior e o único da vida dele. Mas hoje eu queria falar de outra crônica, que também é titulo de outro livro de crônicas do autor, que é a crônica “Para viver um grande amor”. Na verdade eu não vou falar mais nada sobre Vincius e suas cronicas. Vou deixar o texto aqui em baixo pra comemorar o dia dos namorados. Pra mim não existe autor nacional que expresse melhor o sentimento de amor e realmente acredito que depois de ler esse texto você vai se sentir um pouco mais apaixonado ou pelo menos com vontade de se sentir assim.

Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso – para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher… – não tem nenhum valor.

Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro – seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada – para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o “velho amigo”, que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.

Para viver um grande amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fieldade – para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.

Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô – para viver um grande amor.

Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito – peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.

É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista – muito mais, muito mais que na modista! – para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor…

Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs – comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica, e gostosa, farofinha, para o seu grande amor?

Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto – pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer “baixo” seu, a amada sente – e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia – para viver um grande amor.

É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que – que não quer nada com o amor.

Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva escura e desvairada não se souber achar a bem-amada – para viver um grande amor.

Anúncios

5 comentários sobre “Para viver um grande amor – Vinicius de Moraes

  1. Olá, estou bem atrasada para estar lendo algo que foi escrito para o dia dos namorados, mas é que encontrei o post através do G+, e resolvi dar uma passadinha por aqui, porque já li “Para viver um grande amor” (o livro inteiro, não só a crônica), e queria saber o que outras pessoas podem ter pensado sobre esse livro que eu amei tanto!
    Realmente, Vinicius de Moraes foi um poeta sem igual, e sua forma de escrever sobre o amor era terna, bonita, e às vezes também sensual. Até encontrar “Para viver um grande amor”, eu não sabia que ele tinha escrito crônicas, mas gostei de muitas deles, principalmente “O dia do meu pai” (se não me engano, é assim que se chama. Achei o livro inteiro muito emocionante!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s