Um teto todo seu – Virginia Woolf

Há um bom tempo eu queria muito ler alguma coisa da Virginia Woolf e depois de ver o vídeo da Francine Ramos sobre o livro “Um teto todo seu” (vou deixar o video no final do post) eu decidi que era por esse mesmo que eu ia começar.

um-teto-todo-seu-virginia-woolf1Em 1928 Virgina Woolf já era uma escritora conhecida e foi convidada a dar uma palestra sobre grandes nomes femininos da literatura em uma universidade para mulheres.

O livro começa com ela contando que quando recebeu o convite foi se sentar na margem de um rio e refletir sobre o assunto e a primeira conclusão que ela chega é que é extremamente difícil falar sobre as mulheres na literatura sendo que até então, tão poucas mulheres conseguiram se destacar como escritoras. Nesse ponto a reflexão da Virginia Woolf muda de foco, em vez de pensar nos nomes de grandes escritoras, ela passa a se questionar por que não conhecemos mais mulheres talentosas. Será que elas não existiram? Essa hipóteses é improvável. Mas então por que não lemos outras obras? No primeiro capitulo de um teto todo seu, Virginia Woolf levanta uma série de questionamentos que serão discutidos com muita calma e inteligência ao longo do livro.

Virginia Woolf mostra o quanto as mulheres foram reprimidas pela sociedade por muitos anos. As mulheres não tinham acesso a mesma educação que os homens, não tinham acesso aos mesmos livros e caso tentasse ler e escrever com mais dedicação, essas atividades logo seriam cortadas pela família que ia exigir que a moça se focasse mais em suas atividades domesticas, casamento e filhos. Além disso, tem também a questão da independência. Pra uma mulher se dedicar plenamente a arte, seja ela qual for, é preciso que ela não tenha tantas obrigações domesticas e que ela tenha uma independência financeira. O ideal seria que a mulher pudesse sobreviver da escrita, pudesse ganhar dinheiro e ter seu trabalho reconhecido. O titulo do ensaio é exatamente sobre isso. A mulher precisa ter um espaço só seu, uma renda que garanta uma certa estabilidade a ela.

“Dê-lhe um espaço, um teto todo seu e quinhentas libras por ano, deixe que ela diga o que lhe passa na cabeça e deixe de fora metade do que ela hoje inclui, e ela escreverá um livro melhor algum dia.”

No ensaio Virginia Woolf relata que ela teve a sorte de conseguir essa independência. Ela se mantinha com uma henrança deixada por uma tia, mas nem todas as mulheres podiam contar com uma herança ou uma renda só sua, uma renda que ela conseguia com seu trabalho. Ainda eram poucas as mulheres que tinham um emprego.

Para construir melhor seus argumentos Virginia Woolf cria uma personagem qualquer, sem nome definido, o importante é que sabemos que ela é uma mulher. E essa mulher vai fazer uma pesquisa sobre o papel das mulheres na ficção e passa a refletir sobre vários pontos. Ela questiona porque as mulheres eram tão reprimidas pela sociedade, porque a educação que elas recebiam era diferente, porque a comida e a bebida delas era diferente e etc.

Duas coisas me chamaram muito a atenção nesse ensaio. A primeira é quando pra exemplificar as condições que mulheres talentosas do século XVI passaram (hipoteticamente, já que não temos registros) ela cria uma irmã gêmea para Shakespeare. Essa irmã era tão talentosa quanto ele, porém ela não recebeu a mesma educação, não podia se dedicar a escrita, foi forçada a se casar e teve um destino um trágico. Não vou entrar em detalhes porque essa parte é sensacional e é muito legal ir construindo uma linha de raciocínio junto com a Virginia Woolf. E nessa parte tem um trecho que eu achei genial:

“Quando, porém, lemos sobre o afogamento de uma bruxa, sobre uma mulher possuída por demônios, sobre uma feiticeira que vendia ervas ou mesmo sobre um homem muito notável e sua mãe, então acho que estamos diante de uma romancista perdida, uma Jane Austen muda e inglória, uma Emily Bontë que esmagou o cérebro em um pântano ou que vivia vagando pelas ruas enlouquecida pela tortura que seu dom lhe impunha”

E a outra coisa que eu gostei muito foi que a Virginia Woolf explora bastante sobre a vida de algumas romancistas reconhecidas, como por exemplo, a Jane Austen. É bem gostoso ler essa parte.

O livro não fala só sobre as mulheres como autoras, mas também das mulheres como personagens, principalmente quando essas personagens femininas eram construidas por homens. Virginia Woolf discute sobre qual era a visão que os homens tinham sobre as mulheres, sobre a profundidade da vida das mulheres, seus sentimentos e desejos.

Eu amei esse livro. Achei muito interessante a forma como a Virginia Woolf vai construindo os argumentos dela. Ela faz o leitor acompanhar cada passo que ela deu até chegar a suas conclusões. Também achei bem interessante imaginar uma mulher falando sobre tudo isso abertamente na década de 1920. Apesar desse livro já ter mais de 80 anos, ainda temos alguns problemas bem semelhantes. Já conquistamos muitas coisas, mas ainda faltam muitas outras. Enquanto eu lia o livro lembrei muito do post que eu fiz sobre os principais traços dos escritores brasileiros (se você não sabe do que eu estou falando clique aqui). Muitas coisas que incomodavam a Virginia Woolf na década de 1920 ainda aparecem na literatura contemporânea. Depois de ler esse livro minha vontade de conhecer as obras da Virginia Woolf só aumentou!

O livro é curtinho, tem 189 páginas e a edição que eu li foi publicada pela editora Tordesilhas e é uma leitura muito fácil, muito gostosa e da pra ler o livro rapidinho. Os capítulos são tão geniais que você não consegue parar de ler, sempre da vontade de saber o que mais ela tem a dizer. Caso você já tenha lido esse livro, deixe aqui nos comentarios qual foi a sua impressão.

Não deixe de ver o video da Francine do Livro&café porque é sempre uma delicia quando ela fala da Virginia Woolf.

Só uma ultima observação: a imagem de capa desse post é uma foto do quarto da Virginia Woolf em Monk’s House(Foto retirada do Blog Livro&Café).

Anúncios

5 comentários sobre “Um teto todo seu – Virginia Woolf

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s