A beleza dos livros com cara de lidos.

Todo mundo que gosta de ler tem algumas manias. Uma das minhas manias antigamente era a de praticamente cultuar os livros da minha estante.
Eu era aquele tipo de pessoa que não suportava ver uma dobrinha no canto da página ou uma mancha, não suportava que alguma coisa estragasse a capa.
Quando eu realmente comecei a gostar de ler, tinha vontade de destacar várias coisas nos livros que eu lia, mas eu não tinha coragem. Acabava lendo varias vezes na esperança de memorizar, mas nunca dava certo. Nem passava pela minha cabeça fazer uma marca, mesmo que com lápis, nos meus livros. Isso era inadmissível.

Eu era daquelas que comprava papel contact pra encapar os livros e ter certeza que nada ia acontecer com a capa.
Mas um belo dia as coisas saíram do controle. Em 2011 fiz um campo no Pantanal sul matogrossense e como era uma viagem muito longa eu, na minha ingenuidade, resolvi ler na mochila o livro que estava lendo na época, que era 1984 do George Orwell. Acontece que quando chegamos no Pantanal o ônibus parou num trecho da estrada pra gente aprender um pouco as técnicas do campo e eu desci linda e feliz com o meu livro na mochila, nem lembrei que ele tava ali. E foi então que começou a chover. Eu até coloquei uma capa de chuva que cobriu a mochila, mas não teve jeito, meu livro ficou ensopado, todo mole e deformado com várias páginas grudadas. Deixei ele secando durante a semana e ele voltou quase ao normal, a única coisa coisa é que ele ficou feio. A capa ta toda enrugada,  as páginas manchadas, uns pedacinhos meio rasgados, mas quando eu pegava ele pra ler nem lembrava desses detalhes.
Quando terminei o livro e levei ele de volta pra casa dos meus pais pra guardar na minha estante junto com os outros livros eu comecei a achar os livros que tinham cara de novos tão sem graça. Não parecia que eu tinha lido eles. Era como se eu olhasse pra uma estante de livraria e não pros meus livros numa estante no meu quarto.
Depois disso eu nunca mais consegui ter o mesmo apego pelos livros. Lógico que ainda cuido bem deles, mas hoje em dia eu gosto que eles tenham cara de lidos. Se eu passar por algum trecho que eu considere interessante, dobro a página sem dó nenhuma pra o trecho com mais facilidade. Se amassar, sujar, rasgar… não acho nenhum fim do mundo. Gosto de olhar na estante e ver os livros com marcas de que foram dobrados. Gosto quando eles não ficam mais tão fechadinhos e lisinhos. Gosto quando eles ficam cheios de marcadores adesivos pra me lembrar exatamente os trechos que eu mais gostei. Livro pra mim tem que ter as minhas marcas.
Ainda não escrevo anotações ou grifo as partes que eu mais gosto, mas não porque fico com dó de estragar, é que eu acho mais pratico ter tudo anotado em um caderno separado. Meus livros ficam guardados na casa dos meus pais e eu moro em outra cidade por causa da faculdade. Se eu tenho tudo anotado em um caderno facilita muito a minha vida. É muito mais fácil pra transportar e ter tudo sempre comigo. Mas essa parte do caderninho e meus TOCs com organização e anotações de livro já são outras manias e vou deixar pra falar disso em outro post.

Cada um tem um jeito de cuidar dos livros. O importante é aproveitar ao máximo a experiência de leitura. O livro é seu e você cuida dele como achar melhor. Só queria lembrar que livro não é nenhum objeto assim sagrado e que fazer uma anotação aqui, uma dobrinha ali ou usar um marca texto não é nenhum crime.

Não esqueçam de seguir o Literateca no Twitter e curtir a fã page no facebook.

Anúncios

8 comentários sobre “A beleza dos livros com cara de lidos.

  1. Olá! Lendo a tua postagem me identifiquei, pois tenho o mesmo pensamento. Eu marco os meus livros a caneta e ainda grudo aqueles marcadores adesivos, quando marco parece que li e absorvi o que estava escrito nele. Livro lido tem que ter marca de lido! rs Eu cuido deles, mas não fico de frescura não. Beijos! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. EAE NATH
    Tinha essa necessidade de conservar as coisas até um dia que lasquei um baixo meu,
    ao invés de ficado chateado, curti o visual, achei com mais personalidade! Ai passei a desencanar de tudo.
    Aliás isso é muito comum nos instrumentos de corda, chamam o tal de “relic”, que até valoriza o instrumento.

    Essa prática foi legal porque até tinha coisas que nem mexia, só deixava encostado, hoje faço “relic” em tudo, sem ser proposital é claro 😉

    Falo ae.
    PS. to sem net em casa por uma eternidade… fica osso de surfar na web rere

    Curtido por 1 pessoa

    1. Mas é essa ideia mesmo. Não precisa fazer marcas de proposito só pra deixar com a sua cara. É só esse desapego saudavel mesmo.
      Eu adoro cuidar bem das minhas coisas, mas não curto ficar endeusando meus objetos e tratando como se fosse o bebe mais fragil do universo.
      Isso é libertador

      Curtir

  3. Um livro marcado é como uma pessoa com rugas — é um atestado indiscutível de que “viveu”. Quanto mais marcas um livro tem, mais evidente se mostra o apreço que as (diversas) pessoas nutriram por ele enquanto o liam. Alguns dos livros mais incríveis que li eram também os mais “detonados”, como o “Não Tenho Medo”, do Niccolò Ammaniti, que encontrei num albergue durante uma viagem. Com a capa toda repuxada, páginas dobradas e marcações — incluindo trechos sublinhados — parecia traduzir uma conversa além da história em si. Um sussurro dos leitores que vieram antes de mim.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Eu faço marcações a lápis somente nas margens. No caso de reler, ou ser lido por outras pessoas, os grifos dentro do texto acabam sendo “destaques” que não estavam lá (como se o autor tivesse grifado). Faço a lápis pra poder apagar e reposicionar, caso queira. Tomo notas à parte, no computador, para ter acesso fácil (até mesmo pesquisando por termos) a essas anotações, não tendo sempre que ir buscar cada livro para isso.
    É o meu jeito. 🙂
    Agora… “encapar” não é proteger! Anos depois, aquilo descasca ou descola, ficam marcas de durex ou do contact ou outros problemas.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Ter cuidado é importante, mas é impossível que o livro não fique com cara de lido depois do ato. Ultimamente, criei a mania super útil de colocar post-it para marcar aquela frase, aquele trecho importante sabe? E para fazer anotações, eu coloco aqueles post-it maiores e escrevo. Super fácil depois!! xD

    Mania de livros todo mundo tem. Acho que é coisa de cada leitor

    Até mais

    Curtido por 1 pessoa

  6. Há um tempo percebi que eu quebro a espinha do meu livro (?)
    Bem, explicando melhor, ele fica todo torto, porque eu abro bem ele e a cola entorta a beirada e ele nunca mais para em pé sem apoio. Todos os meus livros, principalmente os grossos, ficam assim e eu continuo amando eles.
    Livro com jeito de lido é mais humano, eu acho. Tem a marca da sua leitura… Sem contar que os meus sempre têm alguma mancha de lágrimas xD

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s